Homenagem a Campo Alegre

Postado por: André Palma Ribeiro

O Avaí Futebol Clube homenageia neste sábado, dia 23, diante do Metropolitano, na Ressacada, o município de Campo Alegre. A cidade, que é a Capital Catarinense da Ovelha, estará estampada na camisa do goleiro Diego.

Campo Alegre está localizada na Região Norte do Estado de Santa Catarina e faz divisa com o Paraná. O município tem 11.748 habitantes, conforme dados do IBGE.

A HISTÓRIA

Em 1851, as divisas das Províncias do Paraná e Santa Catarina ainda eram desconhecidas, o que causava muitas brigas e confusões. O Paraná considerava a divisa pelo Rio Negro, com sua nascente localizada no Quiriri, as mesmas divisas doadas à princesa Dona Francisca por seu irmão Dom Pedro II quando ela se casou com o príncipe de Joinville. Com a fundação da Colônia Dona Francisca criou-se a “Cia. Colonizadora de 1849” pelas mãos do então Senador Alemão, Sr. Schroeder, a qual contratou com o governo imperial a colonização das terras da Princesa por europeus.

No período de 1853 a 1857, engenheiros fizeram diversas explorações para uma melhor e mais fácil subida da serra, encontrando a melhor maneira pelo Vale do Rio Seco. Em 1858 por solicitação da Cia. Colonizadora, o governo imperial aprova a construção da estrada, que ligaria Joinville – São Miguel – Tijucas do Sul – Curitiba.

Quando a construção da estrada chegou onde hoje é a cidade de Campo Alegre, aqui já existiam alguns moradores, localizados ao lado do Salto Branco. No dia 23 de Agosto de 1827 o governo imperial começou a medição dos lotes coloniais e construiu o primeiro rancho de Campo Alegre, na hoje localidade de São Miguel, distante apenas 5 km do centro da cidade. A cidade foi nomeada de Froeliches Feld, que traduzido significa “Campo Alegre”, nome recebido devido às belas paisagens naturais que existiam. Em 1888 o povoado de Campo Alegre tornou-se distrito de São Bento do Sul, e aos 18 de março de 1897 conquistou sua emancipação política e administrativa.

A Serra Dona Francisca acabou transformando a povoação na rota obrigatória entre Santa Catarina e Paraná. Além da localização privilegiada, Campo Alegre ainda contava com a fartura da erva-mate. O brilho das décadas de ouro começou a desaparecer com a abertura de novas rotas e a decadência do plantio e exportação da erva.

CLIMA ACONCHEGANTE O ANO TODO

Com altitude média de 870 metros acima do nível do mar e picos que chegam a 1500 metros de altitude, a pequena Campo Alegre está no alto da Serra Dona Francisca, a 45 Km de Joinville e a 108 Km de Curitiba. O clima, considerado um dos melhores do país, é acolhedor o ano todo. No verão, a temperatura não passa dos 34° e, no inverno, a geada pinta de branco as paisagens, com mínima de até 8 graus negativos.

Na primavera e no verão as flores saúdam a vida. Hortênsias azuis, brancas e lilás estão por toda parte a desejar boas-vindas. Nos sítios e fazendas, ovelhas completam o cenário de paz e tranqüilidade. O município é famoso pela qualidade de seus rebanhos, que garantem carne saborosa para diversos pratos típicos, como churrasco no fogo de chão e ovelha no vinho. Em março, a Festa Estadual da Ovelha atrai visitantes de diversas partes do país para conhecer as delícias da gastronomia e da cultura campo-alegrense.

TURISMO RURAL E DE AVENTURA

Visitar as propriedades rurais de Campo Alegre, hospedar-se nas pousadas, colher frutas e verduras orgânicas e ainda levar para casa os deliciosos doces, geléias, biscoitos, bolos e conservas produzidos pelas agricultoras é voltar a um tempo em que a vida era mais saudável e saborosa. Caminhar respirando ar puro, contemplar cascatas com até 60 metros de altura, ouvir o canto dos pássaros… Isso é viver!

Quem gosta de aventura não pode dispensar um passeio aos Campos do Quiriri, com seus 30 cumes de até 1580 metros cercados de lendas e mistérios. Do Quiriri é possível enxergar o mar, as cidades de Joinville, Garuva, São Francisco do Sul, Piçarras e a Baía da Babitonga. Os amantes do cicloturismo também podem percorrer os 248 km do Circuito das Araucárias de Cicloturismo, repleto de aventura e belezas naturais. E em Campo Alegre não faltam áreas próprias para cicloturismo, veículos off road, vôo livre e escaladas.

ARTESANATO TÍPICO

As mãos hábeis dos artesãos locais transformam a lã de ovelha em cachecóis, mantas, ponchos, tapetes e uma variedade de artigos de decoração. O processo ainda utiliza as velhas rocas de fiar e os teares manuais, o que faz com que cada peça seja única. Cascas, folhas, sementes são utilizadas para o tingimento natural dos fios.

EVENTOS

Nos dias 15, 16, 17 e 18 de março, a Festa Estadual da Ovelha receberá visitantes de diversas cidades para apreciar os pratos feitos com a saborosa carne de ovelha, shows musicais e apresentações culturais.

Festival de Inverno – Em julho, a cidade realizará o Festival de Inverno. Ao redor do fogo, uma boa sapecada de pinhão e o chimarrão quentinho convidam a uma cavalgada ou passeio a pé pelos campos cobertos de geada. À noite, o vinho e uma roda de violeiros inspiram os sonhos.

ASPECTOS ECONÔMICOS

Campo Alegre tem sua economia baseada na agropecuária, principalmente com rebanhos bovinos, ovinos e eqüinos; na agricultura com o cultivo da batata salsa, milho, fumo e feijão, e tendo como extrativismo erva-mate, o carvão e o caulim; na área industrial predominam as indústrias moveleiras, que correspondem a 25% da economia campo-alegrense.

 

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

MAIS NOTÍCIAS

Série B 2024: Serviço de jogo para Avaí x Santos-SP

Na Ressacada com a Raça toda! Nesta sexta-feira (26/03), o Time da Raça tem um encontro marcado com a Nação

Ação exclusiva sócios: Sorteio Cantina Zabot

Foram sorteados quatro sócios. Cada sócios ganhou um voucher no valor de R$ 250,00 para a Cantina Zabot! O voucher

24/04/2024